14 de março de 2013

Old room.


Gráfico de Vendas com Orquídea


Nós, em postos
de salvamento e de destruição,
individuais e colectivos,
em gerências de economias
e de conhecimentos,
terrivelmente sujeitos a
armadilhas e fragilidades,
somos os relógios da
memória. Vamos no tempo
e nele nos perdemos.
Somos letras de palavras
possíveis em vastos livros,
páginas brancas e luz cega,
corda partida, nó feito,
nascimentos e funerais,
e nascimentos, infinitos,
imparáveis; pó bíblico,
humano, enigmático.





- Dinis Machado